Quais os tipos de tratamento de efluentes?

 

A poluição da água é um assunto muito preocupante nos dias atuais. Como já sabemos, esse elemento é indispensável para a sobrevivência da vida humana e sua poluição pode gerar graves consequências. Dessa forma, algumas ações para mudarmos esse cenário precisam ser tomadas. Uma delas é o tratamento de efluentes, isto é, do conjunto de resíduos líquidos lançados no meio ambiente.

 

Atualmente, existem vários tipos de tratamento, onde cada um será indicado de acordo com a carga poluidora e a presença de contaminantes. Porém, pode-se dizer que eles são divididos em três etapas. Veja abaixo quais são elas.

Tratamento primário

Através de métodos físico-químicos, nessa etapa a água poluída passa pelos primeiros passos antes de ser descartada na natureza. Eles têm como objetivo separar os sólidos em suspensão e os materiais flutuantes presentes no líquido. Exemplos:

  • Gradeamento: Nesse tratamento de efluentes a água captada dos rios, lagos ou poços passa por grades colocadas em lugares estratégicos para impossibilitar a passagem de resíduos. Ele é muito utilizado nas ETAs (Estações de Tratamento de Água).
  • Decantação: Essa é uma técnica de separação de misturas formadas principalmente por sólidos em líquidos. Aqui, a diferença da densidade entre os componentes presentes na água é a responsável pela separação, visto que a força da gravidade age sobre a mistura de forma a decantar a fase mais densa para o fundo e a menos densa para a superfície.
  • Flotação: Esse tipo de tratamento de efluentes serve para separar misturas heterogêneas. Nela, são adicionadas bolhas de ar ao meio para que as partículas presentes no líquido se juntem a essas bolhas. A espuma formada pode então ser removida, arrastando consigo as substâncias impuras.
  • Separação de óleo: Muito utilizada em efluentes vindos de áreas de manutenção, lavagem de veículos e máquinas em oficinas mecânicas, essa técnica tem o objetivo de separar a água do óleo através de equipamentos que empregam métodos físicos, como a densidade e a tendência que o óleo tem de flutuar sobre a água.
  • Neutralização: Outro processo de tratamento de efluentes é a neutralização, na qual é usado produtos químicos para neutralizar o pH do efluente.

Tratamento secundário

Nessa etapa são usados tratamentos biológicos para retirar substâncias biodegradáveis presentes no efluente. Ou seja, são usados métodos que aceleram o processo de decomposição da matéria orgânica presente na água. Esses processos biológicos podem ser aeróbios (requerem a presença de oxigênio para o seu desenvolvimento) ou anaeróbios (não necessitam de oxigênio). Veja alguns exemplos:

  • Lagoas de estabilização: A fim de reter a matéria orgânica presente na água, as lagoas de estabilização são locais onde se realiza o tratamento de efluentes por métodos químicos e biológicos. Existem vários tipos desses espaços, como, por exemplo, as lagoas aeradas e as lagoas facultativas. Apesar de cada uma possuir um processo diferente de tratamento, ambas possuem a mesma finalidade.
  • Sistema de lodos ativados: Nesse processo de tratamento, o efluente e o lodo ativado são intimamente misturados, agitados e aerados, e, após este procedimento, a substância formada é enviada para o decantador secundário, onde a parte sólida é separada do líquido tratado.

Tratamento terciário 

Por fim, nessa fase são aplicadas técnicas físico-químicas ou biológicas para a retirada de poluentes específicos que não foram retirados pelos outros processos mais comuns. Exemplos:

  • Osmose reversa: Muito comum para dessalinizar a água, por exemplo, nesse tratamento de efluentes o líquido, através de uma pressão, passa de modo forçado por uma membrana semipermeável de material orgânico que os íons não podem atravessar.
  • Adsorção (carvão ativado): Através de reações químicas, os poluentes ficam adsorvidos, ou seja, fixados, a uma superfície sólida, no caso o carvão.
  • Cloração: Nessa fase do tratamento de efluentes, é adicionado o cloro para duas ações principais: anular a atividade de micro-organismos patogênicos e agir como oxidante de compostos orgânicos e inorgânicos presentes na água. Além disso, a adição desse elemento também pode levar ao controle do odor.

Além desses, existem diversos outros tipos de tratamentos pertencentes nas três etapas, na qual todos possuem o mesmo objetivo: tratar a água poluída antes de ser descartada no meio ambiente. E você, já pensou em aderir esse processo em sua empresa? A Reaton oferece a melhor solução para o tratamento de efluentes líquidos, com equipamentos de alta capacidade e próprios para cada situação.

Ficou interessado? Entre em contato com a gente e agende uma reunião para falar com um de nossos especialistas! Até a próxima. (:

 

Leia também:

 Tudo que você precisa saber sobre o tratamento de água industrial.

– O que são efluentes industriais e como devemos tratá-los?